Marketing em Países Socialistas

ProZ.com Translation Article Knowledgebase

Articles about translation and interpreting
Article Categories
Search Articles


Advanced Search
About the Articles Knowledgebase
ProZ.com has created this section with the goals of:

Further enabling knowledge sharing among professionals
Providing resources for the education of clients and translators
Offering an additional channel for promotion of ProZ.com members (as authors)

We invite your participation and feedback concerning this new resource.

More info and discussion >

Article Options
Your Favorite Articles
Recommended Articles
  1. ProZ.com overview and action plan (#1 of 8): Sourcing (ie. jobs / directory)
  2. Getting the most out of ProZ.com: A guide for translators and interpreters
  3. Does Juliet's Rose, by Any Other Name, Smell as Sweet?
  4. The difference between editing and proofreading
  5. El significado de los dichos populares
No recommended articles found.
Popular Authors
  1. Aziz Abdolshahnejad
  2. Marc P (X)
  3. HLS Ltd.
  4. Sara Freitas
  5. Kate James
No popular authors found.

 »  Articles Overview  »  Language Specific  »  Portuguese  »  Marketing em Países Socialistas

Marketing em Países Socialistas

By VERLOW W. JR. | Published  10/6/2014 | Portuguese | Not yet recommended
Contact the author
Quicklink: http://glg.proz.com/doc/4064
Author:
VERLOW W. JR.
Brazil
Portuguese to English translator
Fíxose membro: May 9, 2014.
 
View all articles by VERLOW W. JR.

See this author's ProZ.com profile
Marx e Lênin viam a publicidade como uma atividade característica do capitalismo burguês perniciosa. Marx denunciou a publicidade como "parasita", enquanto Lênin achava que ela era irrelevante para o socialismo, onde o planejamento centralizado seria garantir que exatamente a quantidade certa de um produto estaria disponível para atender às necessidades do consumidor.

Não é de se surpreender, portanto, que a publicidade tem por muito tempo sido restrita, controlada e, por vezes, banida, em muitos dos países que adotaram sistemas políticos comunistas e socialistas, incluindo um bom número de países em desenvolvimento.

Mesmo após a liberalização do mercado e da reforma política nesses países, permanece a incerteza sobre a necessidade de publicidade e outras formas de promoção, e uma suspeita de que ela não acrescenta nada. (O mesmo ceticismo existente entre alguns membros da sociedade nos países capitalistas).

Nem todas as economias centralmente planejadas rejeitaram publicidade. Durante a Revolução Cultural da China (1966 - 1977), agências de publicidade comercial ou foram fechadas ou transformadas para produzir propaganda do governo, e ressurgiram por volta de 1979.

Naquele ano, o jornal do Partido Comunista publicou um editorial apoiando a publicidade como "... um meio de promover o comércio, gerar divisas e, abrir os olhos das massas".

Um grande número de agências de publicidade chinesas começou há operar nos meses imediatamente após o aparecimento deste editorial.

Em anos mais recentes, a China implementou suas próprias formas de liberalizar o mercado, e a iniciativa privada começou a desenvolver com o uso da publicidade.

Empresas comerciais estrangeiras também podem agora ter acesso a grandes mercados da China e elas também fazem uso extensivo de publicidade dentro do país.

No entanto, mesmo durante a era pós-Revolução Cultural, quando a maioria das empresas era estatal, a publicidade serviu para apoiar os objetivos do socialismo chinês.

Na publicidade em particular estava sendo usada para ajudar:

• incentivar o consumo de bens "aprovados" e desencorajar o consumo de outros;

• atingir as metas de produção de políticas públicas;

• vender produtos obsoletos, sub-padrão ou indesejada; e

• melhorar a comunicação entre os departamentos governamentais responsáveis pela produção e distribuidores e consumidores.

Assim, embora ao mesmo tempo atividade promocional evidente fosse proibida na China, que desde então se tornou ideologicamente aceitável como publicidade, agora está sendo usada para redirecionar a demanda e assim efetuar os planos econômicos do socialismo chinês.

De fato, sem comunicações de marketing eficazes o consumidor vai ignorar produtos e serviços que eles precisam, e quem pode fornecê-los. Além disso, é impossível desenvolver sistemas de marketing eficazes e eficientes sem primeiro estabelecer canais de comunicação.

A realidade é que mesmo os melhores produtos não se vendem.


Copyright © ProZ.com, 1999-2021. All rights reserved.
Comments on this article

Knowledgebase Contributions Related to this Article
  • No contributions found.
     
Want to contribute to the article knowledgebase? Join ProZ.com.


Articles are copyright © ProZ.com, 1999-2021, except where otherwise indicated. All rights reserved.
Content may not be republished without the consent of ProZ.com.




Your current localization setting

Galician

Select a language

All of ProZ.com
  • All of ProZ.com
  • Procura de termos
  • Traballos
  • Foros
  • Multiple search